Combate à leishmaniose: agentes de endemia passam por treinamento em Canaã

Agentes de endemia de Canaã dos Carajás participam, desde a última quarta-feira (25), de um treinamento para o combate ao vetor responsável pela transmissão da leishmaniose. Ao longo da última semana, toda a parte teórica do curso foi aplicada; já a parte prática, teve início nesta segunda-feira (30), nas dependências do Estádio Benezão. O treinamento é uma iniciativa da Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, em parceria com a Secretaria de Saúde Pública do Pará (SESPA). O objetivo é fixar uma equipe de agentes incumbidos de realizar a borrifação residual domiciliar em toda a estrutura física de residências, em pontos estratégicos da cidade.

De acordo com Douglas Pacheco, coordenador de Vigilância e Saúde do município, o foco principal da ação é o combate à proliferação do mosquito flebótomo, também conhecido como mosquito-palha, vetor da leishmaniose visceral. “O controle químico ocorrerá inicialmente nas localidades onde se tem endereço de pessoas que foram notificadas e confirmadas como casos positivos de leishmaniose visceral e, na sequência, em áreas onde exista maior índice do vetor.”

O agente de endemias Fabio Soeiro afirmou que o treinamento é de fundamental importância no combate à doença. “Essa ação aqui serve para que a gente possa fazer o controle químico do mosquito. A partir disso, o ciclo de reprodução dele vai ser quebrado. Esse treinamento é fundamental para capacitação dos funcionários quanto à borrifação nas residências.”

Coordenador da ação, Lauro Pantoja, é funcionário estadual, locado na SESPA, e já trabalha no controle químico às endemias há mais de 15 anos. Ministrador de cursos em todo o estado, Lauro lembrou que a população precisa fazer a sua parte no combate à doença. “As pessoas precisam nos ajudar mantendo os quintais limpos, tomando cuidado com os animas… É fundamental que todos participem dessa luta.”

Lauro também explicou que os agentes treinados terão condições de já fazer o controle químico do mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue, chikungunya e do zika vírus. Os treinamentos práticos se estenderão até a próxima quarta-feira (02). A partir da próxima quinta-feira (3), todos os agentes irão a campo para dar inícios aos trabalhos, ainda sob supervisão dos profissionais da SESPA.

COMPARTILHAR