Leishmaniose: Saúde já realizou mais de novecentos testes rápidos em cães

A medida é uma recomendação do Ministério da Saúde para prevenir a proliferação da doença, já que esses animais são potenciais portadores do protozoário Leishmania.  Até o último relatório em 3 de julho, foram realizados 931 testes desde o início do ano. Em Canaã, 29 humanos contraíram a doença.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), a população deve redobrar a atenção tanto à prevenção quanto aos sintomas da doença. Para maiores informações, o cidadão deve ligar para a Unidade de Vigilância em Zoonoses  no número (94) 99150-4953, de segunda à sexta, das 8h às 18h.

Além dos testes rápidos, repelentes estão sendo distribuídos nas Unidades de Saúde da Família, na Unidade de Vigilância de Zoonoses e pelos os Agentes de Combate às Endemias e Agentes Comunitários de Saúde aos grupos de risco da doença: São eles, familiares e vizinhos de pacientes com casos positivos da Leishmaniose Visceral (LV); gestantes e idosos donos de cães que tiveram a doença constatada na unidade.

Saiba quais são os sintomas da doença

Febre, baixa contagem do sangue, mal-estar, perda de apetite, leve ou extrema perda de peso, suor noturno e inchaço abdominal e dos gânglios podem ser sinais da leishmaniose visceral. Já na leishmaniose cutânea, os sintomas aparecem cerca de duas a três semanas após a picada do mosquito palha. É comum aparecer uma pequena pápula (elevação da pele) avermelhada que vai aumentando de tamanho até formar uma ferida recoberta por crosta ou pus. A doença também pode se manifestar como lesões inflamatórias nas mucosas do nariz ou da boca.

Segundo a Semsa, no surgimento dos sinais, a família deve evitar a automedicação e levar o paciente à Unidade de Saúde da Família mais próxima de sua casa, imediatamente. As unidades atendem de segunda à sexta-feira, das 8h às 19h.

Prevenção

Segundo a coordenadora da divisão de vigilância em saúde, a médica veterinária Wiliam Santos de Sousa, a higienização das residências e demais locais é a melhor ação preventiva. O mosquito palha procura materiais orgânicos para reproduzir: “a fêmea prefere depositar ovos em restos de lixo e alimentos, folhas secas, para que as larvas se alimentem. “Logo, ambientes inadequados tem grandes chances de abrigarem focos do mosquito”.

Outras medidas importantes são usar repelentes e realizar os testes rápidos em cães – potenciais portadores do protozoário da leishmaniose. Os donos dos animais devem realizar periodicamente os exames. O teste é gratuito e pode ser realizado de segunda à sexta-feira, de 8h às 12h, na Unidade de Vigilância em Zoonoses de Canaã, que fica na rua Constancia Lino, bairro Novo Horizonte 2. Para maiores informações, o cidadão deve entrar em contato com a unidade no número (94) 99150-4953.