No Dia Mundial do Meio Ambiente, Secretaria manifesta preocupação com queimadas

Equipe da Semma consegue identificar autor de queimadas por meio de Cadastro Multifinalitário

Com o fim do período chuvoso em Canaã dos Carajás, a Secretaria de Meio Ambiente do município já atendeu a 61 ocorrências de queimadas no município, com 15 autos de infração lavrados e outros em processo de elaboração, a partir da realização de diligências para a obtenção de dados, como CPF e endereço de correspondência dos autuados.

Essa é uma das principais preocupações da Secretaria, sobretudo neste 5 de junho, em que se comemora o Dia Mundial do Meio Ambiente, data que celebra os benefícios do meio ambiente equilibrado, da possibilidade de convivermos com a fauna e flora preservada, e buscarmos uma relação de maior respeito com a natureza.

A boa notícia é que, atualmente, a identificação dos proprietários dos “lotes sujos” alvos de queimadas ficou mais fácil, devido a utilização dos dados do Cadastro Multifinalitário dos Imóveis do município, o qual aponta de forma atualizada o nome dos proprietários dos locais onde houve queimadas.

Na maior parte dos atendimentos o objetivo da queimada é a limpeza da área, a qual não foi limpa de forma manual ou mecânica. Em muitos casos existem residências de todos os lados do local onde a queimada ocorreu, causando sérios problemas a saúde dos moradores, situação agravada quando existem crianças e idosos no local.

Para a secretária de Meio Ambiente, Simone Aparecida, atualmente é impossível uma pessoa alegar que fez uso do fogo para a queima da vegetação, seja na zona urbana ou rural, sem ter a consciência de que a prática é ilegal, causando graves problemas para o meio ambiente, a saúde da população e muitas vezes prejuízos materiais para vizinhos do local, os quais podem ter a sua propriedade atingida pelo fogo iniciado em outra propriedade.

“Precisamos, do apoio da comunidade, essa é uma luta que necessita do apoio de todos. Pedimos que o proprietário de lote urbano, mantenha o seu terreno limpo, isso é obrigação prevista em lei, pois o terreno limpo, sem vegetação não sofre com queimadas, e o seu proprietário está livre de multas”, destaca.

Para o proprietário rural, a orientação é que ele faça aceiros, busque apoio da Secretaria de Produção Rural para a limpeza mecânica de pastagens, bem como orientação técnica para a utilização de técnica agrícola alternativa ao uso do fogo. Caso tenha a necessidade de utilizar o fogo, o produtor rural deve solicitar autorização junto a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (SEMAS), órgão com competência para emitir a autorização de queimada.

A SEMMA continuará o trabalho de orientação, educação ambiental e fiscalização, buscando prevenir e reprimir a prática de queimadas no município. O cidadão que desejar fazer denúncias, pode entrar em contato pelo Disk-Denúncia: (94) 99126-7492

COMPARTILHAR