Com parceria de Universidades e impulso do Fundo de Desenvolvimento, Canaã será 1ª cidade inteligente do país

Canaã dos Carajás caminha para se tornar a 1ª cidade inteligente do país, utilizando ferramentas modernas para auxiliar a gestão, criar emprego, renda e diversificar a economia local. Essa é a ideia do conceito de Smart Cities, que é desenvolvido por várias instituições de nível superior do país, com a coordenação da Universidade de São Paulo (USP) e participação da Universidade Federal do Pará (UFPA), com quem a prefeitura de Canaã acaba de celebrar um novo convênio, por meio do Instituto de Tecnologia da Instituição (ITEC/UFPA), coordenado pelo Professor Renato Francês.

A ideia – que tem o prefeito Jeová Andrade como entusiasta – é utilizar ferramentas modernas, como a Inteligência Artificial, na formulação de políticas públicas, além de estimular a criação de Start Ups (empresas jovens de tecnologia que possuem conhecimento técnico e são financiados para executar seus projetos) que vão auxiliar o município na diversificação econômica e na geração de empregos, sobretudo para os jovens.

Vale lembrar que Canaã tem um Polo Educacional, já em funcionamento, com cursos superiores da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa), da Universidade Aberta do Brasil (UAB), do Instituto Federal do Pará (IFPA), além de instituições privadas, que já estão atuando na qualificação dos jovens. Canaã dos Carajás é um município com população extremamente jovem. Estima-se, com base em dados dos registros eleitorais do município, que mais de 60% da população de Canaã está entre os 16 e os 40 anos.

Fomento a negócios inteligentes

Uma das maneiras de incentivar a tecnologia e inovação é o Fundo Municipal de Desenvolvimento Econômico, criado em 2016, que concentra 5% de todos os royalties da mineração recebidos pelo município, com o objetivo de fomentar negócios, com empréstimos a juros baixos.

Em 2018, a Lei do Fundo foi modificada e incluiu outras formas de fomentar o desenvolvimento econômico, como a Verticalização de cadeias produtivas primárias e o fomento ao desenvolvimento de sistemas de computador de utilidade pública.

O técnico da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Município, Jorge Tomasi, destaca que o investimento em novas tecnologias pode criar um modelo de desenvolvimento em Canaã que, ao contrário da indústria, independa da localização geográfica.

“Canaã está longe de grandes centros consumidores ou de grandes centros produtores e matéria prima, para incentivar a implantação de um segmento industrial amplo no Município, que não seja baseado na indústria minerária. Por isso, o investimento em desenvolvimento tecnológico, para que Canaã possa se tornar uma produtora de sistema de computador é uma possibilidade de ter um novo setor econômico competitivo e grande gerador de emprego e renda”, defende.

“Há de se destacar também o fato de Canaã possuir o complexo S11D que além de ser a maior mina de minério de ferro a céu aberto do mundo, possui também muita tecnologia da Indústria 4.0 embarcada e está demandando por mão de obra qualificada”, completa.

COMPARTILHAR