Agronomia em Canaã: Alunos da Unifesspa esperam utilizar conhecimento para contribuir com a comunidade

Aproveitar a oportunidade de estar em um curso superior, em uma universidade pública, para contribuir com o desenvolvimento da comunidade ao redor. Esse é o objetivo dos alunos que fazem parte da primeira turma do curso de agronomia da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa) em Canaã dos Carajás.

Para isso, a coordenação do curso tem articulado ações entre os estudantes que possam contribuir com o desenvolvimento local, e que estejam ligadas às necessidades da região. Nesta semana, por exemplo, foi realizada uma, em que os estudantes puderam aplicar, na prática, aquilo que aprendem na sala de aula. A atividade faz parte do projeto “Sistema Agro Florestal (SAF).

“A aula prática, para mim, é o momento em que eu mais aprendo, e acho que a para a maioria também”, comentou a estudante Isabel Sandanha. Ela tem boas expectativas para o segundo ano letivo dessa primeira turma. “Acredito que vou aprender mais, abranger mais áreas e já ter uma identificação com o que eu quero seguir”, comentou.

Já o estudante Noam Pimentel, considera que ações de campo, como essa, contribuem para o conhecimento nas dimensões “econômica, social e o ambiental”. “Podemos trazer isso para Canaã, com o trabalho que estamos desenvolvendo aqui. A expectativa é que a gente cresça muito no município, com os projetos que estamos realizando junto às comunidades”, disse.

O professor Elias da Silva Albuquerque, coordenador do Polo da Unifesspa de Canaã dos Carajás, destacou que o sistema agroflorestal vai de encontro à necessidades do bioma local.

“Sabemos que, na Amazônia, há uma grande necessidade de reflorestamento, recuperação do solo, e o sistema agroflorestal é uma excelente oportunidade para isso”, disse. “Ele traz uma importância econômica, de revitalização do solo e ecológica. Ele reúne esses elementos com o benefício econômico para o agricultor”, comentou.

A Secretária Municipal de Educação, Roselma Feitosa, destaca que o projeto, desenvolvido pelos alunos da Unifesspa, vai recuperar a área degradada e promover a recuperação do solo. “Esse processo vai recuperar toda a área degradada, possibilitando a renovação do solo e também a gente difundir e ter algumas culturas locais”.