Metano gerado pelo aterro controlado de Canaã pode ser aproveitado para geração de energia

Comitiva visita aterro controlado de Canaã dos Carajás. Local pode gerar energia renovável (Foto: Jefferson Almeida)

Canaã dos Carajás pode ser um dos primeiros municípios do norte do Brasil a aproveitar o gás metano produzido pelos resíduos do aterro controlado para a geração de energia renovável (energia elétrica ou biocombustível veicular). O município recebeu nesta quinta-feira (2) a visita de três pesquisadores do Ceará, que conheceram o aterro e devem iniciar em breve um estudo de viabilidade técnica e econômica para um projeto de sustentabilidade a partir da emissão de biogás.

Visitaram o aterro o professor Ronaldo Stefanutti, do Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental da Universidade Federal do Ceará, o engenheiro químico Ari Clécius Alves, da Fundação Núcleo de Tecnologia Industrial do Ceará (Nutec), e a professora e pesquisadora Mona Lisa Moura, do Laboratórios Associados de Inovação e Sustentabilidade (LAIS) da Universidade Estadual do Ceará.

Juntos, eles já conheceram aterros por todo o Brasil, afim de verificar a viabilidade do aproveitamento do gás dos resíduos. Canaã dos Carajás é o primeiro município do Pará a ser visitado por eles com este fim. Segundo o engenheiro Ari Clécius, a experiência do município com o aterro chegou a eles em uma palestra em Fortaleza. “Daí surgiu a ideia de conhecermos e apresentarmos essa proposta”, disse. Se consolidada a parceria entre a prefeitura e os pesquisadores, eles terão 30 dias para realizarem um estudo no local e indicarem a melhor alternativa para o aproveitamento do gás produzido pelo lixo no local.

Antigo lixão, aterro controlado hoje é considerado “orgulho de Canaã”, segundo prefeito Jeová Andrade (Foto: Jefferson Almeida)

De acordo com a pesquisadora Mona Lisa Moura, no Brasil, o aterro sanitário Oeste de Caucaia, na região metropolitana de Fortaleza, é um dos exemplos de transformação de resíduos urbanos em biometano , gerando aproximadamente 100 mil m3/dia, coletado e purificado pela Empresa GNR-Fortaleza, que é injetado diretamente na rede de distribuição da Companhia de Gás do Ceará (CEGAS).

Há outros bons exemplos, como os aterros Bandeirantes de São João, no município de São Paulo, que já produzem energia elétrica, assim como o de Guatapará, em Ribeirão Preto. No Rio de Janeiro, os aterros sanitários de Gramacho (Duque de Caxias), e de São Pedro da Aldeia são exemplos de produção de biogás.

Visita gratificante

O prefeito de Canaã dos Carajás, Jeová Andrade, destacou que a visita dos pesquisadores demonstra o reconhecimento pelo trabalho realizado no aterro, que deu fim ao antigo lixão do município. “Acredito que vai dar muito certo, e tivemos uma resposta positiva de que esse aterro é um dos melhores que eles já visitaram”, comentou o prefeito, complementando que o local é “um orgulho para Canaã”.

Já o presidente da Câmara dos Vereadores, Wilson Leite, afirmou ser gratificante “receber pessoas do Brasil com esse nível de conhecimento”. “O meio ambiente precisa se renovar”, completou.

O professor Ronaldo Stefanutti também elogiou o aterro e destacou que a eventual produção de biogás, por exemplo, pode servir inclusive para o abastecimento de parte da frota de veículos do município. “A prefeitura conseguiria méritos com esse trabalho, de alcançar selos, reconhecimento e até recursos internacionais”, concluiu.

COMPARTILHAR